Para o Motorista

Tudo o que você precisa saber para fazer o planejamento financeiro

planejamento financeiro

Você acharia estranho se lhe dissessem que o sucesso financeiro pode acontecer independentemente da renda que uma pessoa recebe? Talvez soe como algo impossível em um primeiro momento. Entretanto, certamente você já conheceu alguém que conseguia realizar importantes projetos, mesmo não ganhando um salário tão alto.

Da mesma forma, não é raro encontrar pessoas que tenham uma renda invejável, mas que não conseguem transformar seus sonhos materiais em realidade. Por que isso acontece? A diferença entre os dois casos não está necessariamente no montante de dinheiro que entra na conta de cada pessoa. Está no planejamento financeiro que elas fazem.

Então, que tal aprender a fazer essa diferença? Acompanhe as dicas deste artigo e saiba como funciona!

O que é o planejamento financeiro?

Infelizmente, nosso país ainda deixa muito a desejar em termos de educação financeira. Não por acaso, temos uma sociedade com altos índices de endividamento e inadimplência. Afinal, pessoas que não aprendem melhores maneiras de administrar o seu dinheiro estão mais expostas a problemas desse tipo.

Por isso, sempre vale a pena chamar atenção para o tema do planejamento financeiro. Com o aumento das discussões sobre esse assunto nos últimos anos, muitas pessoas já estão modificando sua relação com o dinheiro e passando a conquistar muito mais em suas vidas.

Mas, afinal, do que se trata esse planejamento? Para defini-lo, podemos pensar um pouco sobre o que significa fazer planos. E não apenas financeiros, mas de maneira geral. Por exemplo, se você tem costume de fazer viagens longas, certamente tem um passo a passo para a realização delas.

Antes de pegar a estrada ou embarcar em um avião, é preciso pesquisar destinos, saber mais sobre a cidade a ser visitada, juntar dinheiro ou preparar o cartão de crédito. E, claro, organizar as coisas para o dia da saída. Tudo isso significa planejar a viagem.

Provavelmente você vai concordar que seguir essas etapas antes de viajar evita algumas dores de cabeça e torna o passeio mais seguro e prazeroso, certo? É esse o poder do planejamento. Por isso, de maneira semelhante, precisamos planejar nossas finanças.

O planejamento financeiro é um conjunto de decisões que você toma sobre a forma com que pretende administrar seu dinheiro. Como qualquer plano, ele envolve analisar a realidade, pesquisar informações e escolher o que fazer com elas. Assim, essa estratégia permite ter maior controle sobre as finanças e pensar no futuro com mais segurança.

Nem todos que ganham dinheiro estão planejando o que fazer com ele. Em muitos casos, as pessoas fazem gastos de maneira descontrolada e nem mesmo sabem dizer para onde está indo o seu salário ao final do mês. Assim, elas têm a sensação de que recebem uma renda menor do que a real.

Por que é importante se planejar financeiramente?

Quem quer superar as limitações financeiras e os problemas trazidos por ela, passando a viver com mais conforto, precisa reconhecer a importância do planejamento. Basicamente, uma maior educação financeira vai proporcionar que você saiba como conquistar, gastar e economizar o seu dinheiro. Todos esses são passos essenciais para ter qualidade de vida.

Dessa forma, o planejamento financeiro não tem relação apenas com finanças, mas com a sua vida de forma geral. Afinal, fica difícil pensar em algo que você faça e não custe dinheiro, não é mesmo? Até quando consideramos sentimentos, como o amor de nossa família, precisamos pensar em um imóvel agradável para morar, em momentos prazerosos de lazer, na educação dos filhos, nos cuidados com a saúde etc.

Assim, um dos principais motivos de se planejar financeiramente é conseguir viver de maneira mais satisfatória. Dificilmente alguém vai desejar trabalhar tanto tempo e não ser capaz de usufruir dos benefícios desse esforço, certo? O ideal é poder transformar sonhos em realidade a partir do trabalho que realiza.

Isso é possível por meio do planejamento financeiro, independentemente do seu salário atual. Organizar-se e fazer planos permite administrar melhor sua renda e estabelecer prioridades de gasto. Dessa forma, você percebe que a riqueza não está no quanto recebe por mês, mas em quais objetivos consegue realizar.

Quem se planeja tem a certeza de que vai concretizar um sonho que considera prioritário — mesmo que não seja hoje ou daqui a um ano. Assim, ainda que o seu plano seja de longo prazo, a cada mês é possível se sentir um pouco mais perto dele. Com o tempo, você estará muito mais próximo do que se nunca tivesse começado a se planejar.

Mais tranquilidade

Além disso, podemos dizer que dinheiro é liberdade. Quando você consegue fazer o salário render mais tempo e guarda alguma quantia, mesmo que pequena, fica menos vulnerável diante de emergências. Imagine passar pelo problema de ter o motor do carro fundido e não ter condições de fazer esse gasto imprevisto sem desequilibrar seu orçamento mensal?

Em resumo, os motivos pelos quais o planejamento financeiro é importante são muitos, como:

·        ter mais organização na rotina;

·        ficar mais consciente das próprias ações;

·        ser capaz de pagar todas as contas em dia e não se endividar;

·        fazer seu salário render mais;

·        estar preparado para imprevistos, como precisar consertar arranhões no carro;

·        conseguir realizar objetivos e sonhos;

·        viver mais feliz e com mais qualidade;

·        ter mais saúde e tranquilidade para aproveitar as coisas que o dinheiro não compra.

Quais são os riscos de viver sem planejamento financeiro?

Até aqui você percebeu que planejar é uma prática fundamental para quem busca administrar melhor o dinheiro e realizar seus objetivos na vida. Sendo assim, com certeza as pessoas que não fazem isso estão expostas a alguns riscos. Conheça os principais a seguir.

Desconhecimento sobre sua real situação financeira

Você sabe dizer exatamente quais são as suas condições e limites financeiros atuais? É capaz de analisar, de maneira rápida, se consegue fazer uma grande compra hoje ou precisa adiá-la? Se a resposta para essas perguntas for não, o seu controle financeiro precisa melhorar. E isso acontece por meio do planejamento.

Quando você planeja suas finanças, vai conseguir responder esses e muitos outros questionamentos. Isso porque uma das primeiras etapas desse processo é analisar sua realidade atual e montar um orçamento. Dessa forma, consegue as informações que precisa para tomar decisões rápidas e eficientes.

Falta de controle do dinheiro

Um dos maiores riscos para quem não conhece sua realidade financeira é perder o controle do próprio dinheiro. Vamos usar a mesma questão do tópico anterior. Quem não sabe como estão suas finanças, pode assumir que tem sim condições de fazer uma grande compra. Entretanto, na hora de pagar por ela descobre que, na verdade, não tinha.

Um controle eficiente das movimentações financeiras só existe quando há um planejamento. Do contrário, você até pode tentar tomar algumas decisões conscientes e checar o extrato do banco antes de adquirir algo. Mas não vai muito além disso. Portanto, o risco do descontrole se mantém.

Endividamento

O que geralmente acontece quando alguém não exerce controle sobre suas finanças? Endividamento e inadimplência. Afinal, se você não acompanha de perto a sua renda e os seus gastos, uma hora pode acabar não conseguindo pagar todas as contas em dia.

Isso acontece principalmente devido ao acúmulo de parcelas no cartão de crédito, empréstimos, financiamentos etc. Muitas vezes, as pessoas se atentam apenas para o valor de cada parcela, esquecendo-se de somar todas e verificar a viabilidade dos pagamentos. Assim, as contas podem ultrapassar o valor disponível.

Demora na realização de sonhos

Quem não tem um bom planejamento financeiro fica mais longe dos seus sonhos. E não estamos falando apenas de grandes realizações, como a compra de uma casa. Mesmo projetos mais simples podem ficar distantes.

Por exemplo, os amantes do mundo automobilístico podem não conseguir tão cedo fazer sobrar um dinheiro a mais para fazer a personalização de carros que querem. Engolido pelas contas e sem controle de orçamento, é comum que a pessoa trabalhe apenas para custear os gastos fixos e não consiga investir naquilo que a faz felizes de verdade.

Perda de oportunidades

Outra desvantagem quando não se estabelecem planos financeiros é perder oportunidades interessantes. Imagine que um grupo de amigos consiga um ótimo preço para o aluguel de uma casa de praia e você não possa ir por não ter dinheiro naquele momento?

Da mesma forma, sem um planejamento financeiro você corre o risco de não ir a um show de sua banda favorita. Ou, ainda, não aproveitar grandes descontos na compra de um produto à vista. Além disso, perde a possibilidade de ganhar mais dinheiro, pois não investe nenhuma quantia em aplicações que gerem rendimentos.

Maior exposição às crises econômicas

Você provavelmente sabe que nosso país enfrenta algumas dificuldades econômicas em determinados períodos. As crises podem ser gerais ou atingir um setor específico. Elas também variam em relação à sua duração e intensidade. Mas uma coisa é certa: quem não tem reservas financeiras fica mais exposto às consequências negativas delas.

O mesmo não acontece com quem se planeja. Por isso, um dos maiores benefícios da organização das finanças pessoais é a segurança. Se uma crise chegar, você terá melhores condições de lidar com ela sem se endividar ou se desesperar com o cenário econômico.

Estresse e problemas de saúde

Ao pensar em enfrentar os riscos que citamos aqui, fica bem difícil não se sentir estressado ou desesperançado. Por isso, a saúde das pessoas que passam por problemas financeiros costuma receber um impacto muito negativo. Afinal, a pressão pode aumentar o estresse e até mesmo causar doenças.

Como já falamos, quase tudo que fazemos na vida precisa do dinheiro. Até mesmo momentos agradáveis com amigos e família demandam algum valor. Com isso, o descontrole financeiro pode tornar o cotidiano muito complicado. Pode afetar a saúde, a qualidade de vida e até o rendimento no trabalho (pessoas preocupadas têm sua produtividade reduzida).

Qual é o passo a passo para construir seu planejamento financeiro?

Não falamos de assuntos agradáveis no tópico anterior. Entretanto, é preciso esclarecer os perigos que espreitam quem não desenvolve um planejamento financeiro eficiente. Agora, que tal aprendermos como fazer isso e conseguir evitar todos os riscos citados? Acompanhe nosso passo a passo e conquiste mais segurança e qualidade na sua vida.

Analise sua situação atual

A primeira etapa, claro, tem que ser a do diagnóstico. Antes de começar a planejar, você precisa saber exatamente como estão as suas finanças hoje. Isso inclui registrar o quanto ganha, o quanto gasta frequentemente e possíveis dívidas ou inadimplências que existam.

Esse levantamento pode ser feito em um caderno ou agenda, em uma planilha de computador ou em aplicativos de controle financeiro. É importante escolher a ferramenta mais fácil para você, pois, além de anotar essas informações iniciais, será preciso continuar registrando todos os gastos diários daqui para frente.

Crie projeções

Um planejamento financeiro não é apenas identificar suas condições atuais. O objetivo dele é construir o futuro. Por isso, diante da sua realidade diagnosticada no passo anterior, você deve fazer projeções financeiras.

Essas projeções envolvem tanto as categorias de ganhos como de gastos. Então, você vai pensar, por exemplo, em quanto pretende ganhar nos próximos anos, quando deseja quitar todas as dívidas e parcelas e como espera otimizar seus custos a partir de agora. Refletir sobre isso, vai impulsionar importantes mudanças no seu orçamento.

Identifique suas prioridades

Lembra quando falamos que é possível obter sucesso financeiro mesmo sem ter a renda dos seus sonhos? Sim, nem sempre é preciso ter muito dinheiro para conseguir realizar seus projetos. Nesse caso, o que diferencia as pessoas que são bem sucedidas neste quesito é o estabelecimento de prioridades.

Nem sempre essas pessoas conseguem fazer tudo o que querem. Mas, de maneira geral, elas são bem felizes com a vida que levam. Por que isso acontece? Porque elas chegaram a um patamar em que são capazes de saber o que as traz alegria de verdade.

Assim, fica mais fácil organizar os gastos. Vamos pensar em alguém que se sente bastante realizado comprando roupas de marcas famosas, mas não faz muita questão de visitar restaurantes caros:. Seu dinheiro será administrado de forma a reduzir gastos que não agregam qualidade de vida para poder aumentar aqueles que o deixam feliz.

O mesmo acontece com quem busca um estilo de vida minimalista em seu cotidiano para obter retornos maiores em suas prioridades. É o caso de quem valoriza ótimas férias com a família. Para fazer isso, pode ser necessário reduzir gastos supérfluos que não tragam tanta satisfação quanto as viagens.

Defina metas e objetivos

Depois de conhecer a relação entre planejamento financeiro e estabelecimento de prioridades, você pode responder o que espera para o futuro? Quais são os seus maiores sonhos e o que lhe traz mais felicidade?

Conhecendo esses pontos, é possível encontrar seus objetivos e transformá-los em metas para começar a realização deles. Vamos supor que um dos grandes desejos da sua família é adquirir a casa própria. Pode parecer muito longe agora, mas é preciso começar de algum lugar.

Então, que tal transformar esse sonho em meta? “Comprar uma casa” é algo bastante indefinido, mas se estabelecemos uma data prevista, um valor projetado e uma estratégia para consegui-lo, tudo fica mais palpável. Nesse caso, podemos pensar em “adquirir um imóvel daqui a 10 anos, por determinado valor e investindo certa quantia todos os meses”. Percebe a diferença?

Monte um orçamento

Seguindo no nosso passo a passo, até aqui você já diagnosticou sua realidade atual, criou projeções baseadas nela, pensou em suas prioridades e estabeleceu metas. Agora é o momento de expressar tudo isso em um orçamento pessoal. Ou seja, suas finanças mensais vão refletir todas essas decisões que você tomou.

Então, a ideia é olhar para suas movimentações financeiras e ver o que precisa ser mudado para custear o que você definiu como prioridade e como objetivo.

Lembre-se de que prioritário não deve ser apenas sonhos materiais, mas também sua qualidade de vida. Assim, não é indicado cortar todos os custos “supérfluos” que você tenha. Alguns deles são essenciais para sua felicidade — o importante é reconhecer quais são esses.

Coloque em prática seus planos

Depois de seguir todos esses passos, o seu planejamento financeiro está pronto. Agora, só resta colocá-lo em prática. No começo, pode ser bem difícil. Afinal, mudar padrões e criar hábitos mais saudáveis requer disciplina e esforço. Mas tenha certeza de que vai valer a pena.

Procure se observar nas primeiras semanas e identifique suas principais dificuldades. Se estiver difícil anotar os gastos diários, pense em formas de se lembrar dessa obrigação e não esquecer algum registro.

Avalie os resultados e faça mudanças

Enquanto coloca em prática o que planejou, é interessante que você acompanhe os resultados e perceba possíveis necessidades de mudança. Por exemplo, pode acontecer de notar que determinada redução de gastos está afetando sua qualidade de vida. Então, vale a pena reorganizar o orçamento e resolver isso.

Da mesma forma, você pode perceber que em algumas categorias está se gastando menos do que o teto colocado. Essa é uma notícia boa, pois será possível repassar esse dinheiro para outro grupo de custos ou mesmo poupar um valor maior do que o esperado.

Que estratégias podem melhorar seu controle financeiro pessoal?

O passo a passo do planejamento financeiro que mostramos é um bom modelo a ser seguido. Sem dúvida, ele vai trazer muitos resultados positivos para sua relação com o próprio dinheiro. Para ajudar ainda mais, trouxemos algumas dicas de como aperfeiçoar o controle financeiro para cumprir seu plano. Confira!

Acompanhar o orçamento de perto

Ao planejar, você montou um orçamento mensal. Registrou os custos fixos, estabeleceu projeções e passou a anotar constantemente os gastos feitos. É fundamental ter em mente que essa é a etapa mais importante do seu planejamento financeiro.

Sem ela, fica impossível ter metas e objetivos. Afinal, como fazer isso sem saber para onde o dinheiro está indo atualmente? Portanto, a ideia não é montar um orçamento e esquecê-lo em uma gaveta. Pelo contrário, ele deve fazer parte do seu dia a dia e guiar todas as suas decisões.

Cortar gastos

Diminuir as saídas de dinheiro é uma estratégia essencial para ter mais controle financeiro. Muitas vezes, no seu dia a dia você se depara contas imprevistas. Se elas não forem consideradas e comparadas com os seus planos, tudo o que foi definido pode ser prejudicado.

Assim, o caminho para cumprir o planejamento e ter resultados ainda melhores é saber cortar gastos com inteligência. Aqui vão algumas dicas:

·        cancelar serviços subutilizados, como assinatura de TV a cabo;

·        substituir contas mais caras por opções semelhantes que custam menos;

·        negociar descontos com fornecedores frequentes;

·        buscar as menores taxas em bancos, empresas de cartão de crédito etc;

·        planejar as compras e sempre focar no custo-benefício e na qualidade;

·        combinar estratégias de economia com o cônjuge e os filhos;

·        procurar maneiras gratuitas ou mais baratas de se divertir;

·        controlar os desejos de consumo e a impulsividade;

·        pesquisar preços antes de comprar algo;

·        ver o que pode fazer por conta própria, como algumas manutenções do veículo;

·        aproveitar promoções e descontos em itens que você precisa.

Planejar custos frequentes

Uma categoria que costuma ser mal interpretada por muitas pessoas é a dos gastos que não são fixos ou mensais, mas que acontecem em determinada frequência. É comum ver, por exemplo, alguém reclamar de aperto financeiro no início do ano, quando algumas contas se acumulam, principalmente os impostos e matrículas.

Mas se esses gastos acontecem exatamente em todo começo de ano, será que podemos mesmo dizer que eles pegam alguém de surpresa? Certamente, não. Por isso, o indicado é se preparar para eles. Juntando um pequeno valor todos os meses, você tem condições de pagar tudo sem desequilibrar o orçamento. E melhor, aproveitando descontos.

O mesmo vale para serviços que você sabe que são necessários a cada determinado período. É o caso da renovação do seguro de um veículo, da compra de material escolar ou da ida a mais uma manutenção de carro.

Investir dinheiro

Se você seguir as dicas que demos aqui sobre planejamento financeiro, vai começar a sobrar dinheiro na sua conta-corrente ao final do mês. Essa quantia é a que serve para custear seus projetos e sonhos. Por isso, não é interessante que ela fique parada no banco.

Estudando sobre investimentos financeiros, você consegue destinar esse dinheiro para aplicações que o multipliquem. Assim, ao longo do tempo ele rende e o investidor recebe juros por ele. Essa estratégia é uma ótima forma de aproximar ainda mais suas realizações.

Agora você tem muitas informações para processar sobre planejamento financeiro. Se for preciso, guarde o texto para ler quantas vezes forem necessárias. Anote nossas dicas e aproveite os ótimos resultados trazidos por elas!

E então, este conteúdo ajudou você a melhorar as finanças? Assine nossa newsletter e acompanhe as principais publicações do blog!