Para o Mecânico

Qual é a diferença entre peça original e peça de reposição?

Peça de reposição automotiva

Os carros são máquinas engenhosas e, portanto, precisam de revisões e manutenções periodicamente. Esse acompanhamento próximo da mecânica de um veículo garante inúmeros ajustes e reparos, promovendo um melhor desempenho, enquanto se estende a vida útil do bem.

Por isso, o texto de hoje abordará as diferenças de uma peça de reposição comparada à original. Você saberia explicar ao seu cliente as distinções e precauções a serem tomadas durante a compra? Pelo sim ou pelo não, saiba agora!

As diferenças entre peça original e de reposição

Resumidamente, peças de reposição são aquelas que não foram fabricadas pela montadora do veículo. Não estando sob o mesmo padrão de fabricação das montadoras, existe o senso comum de que elas apresentam menor durabilidade, devido ao preço reduzido.

Contudo, a baixa qualidade não é uma regra de mercado! Acredite, é nesse nicho — das peças de reposição — que você encontrará a melhor relação custo-benefício. A chave para aumentar os seus ganhos, sem desprezar a segurança do seu cliente, é encontrar aquela fabricante comprometida com a qualidade.

Confira a seguir as principais características de cada tipo de peça.

Peças originais

São projetadas e fabricadas pela montadora do veículo. Sua composição é idêntica a daquelas instaladas nos carros quando saem das fábricas. Logo, apresentam a mesma durabilidade e confiabilidade daquilo que já constituía o veículo inicialmente. Veja abaixo outras características:

  • têm preço elevado;
  • podem ser encontradas em concessionárias;
  • são conhecidas como originais ou genuínas;
  • apresentam garantia de adequação entre peça e veículo.

Além disso, precisamos levar em consideração os cenários de colisão. Nessa circunstância, recomenda-se que o reparo seja feito exclusivamente com peças originais. Isso acontece pois, havendo deformação da carroceria, as peças de reposição podem não apresentar o encaixe adequado, comprometendo a segurança do veículo.

Peças de reposição

São as peças de fabricação externa às montadoras dos veículos. Como o nicho de mercado é mais amplo, não há como afirmar um padrão unânime de qualidade. Nesse meio, você encontrará:

  • peças de alto padrão e performance, submetidas a extensos e rigorosos testes de esforço;
  • peças de baixo custo, mau acabamento, péssimo encaixe e baixa durabilidade, desenvolvidas por fabricantes descomprometidas com a qualidade.

Portanto, as peças de reposição podem representar tanto um excelente, quanto um péssimo negócio. Confira mais características desses itens:

  • têm preço de baixo a intermediário;
  • são conhecidas como de reposição, paralelas ou genéricas;
  • na categoria, o padrão de qualidade entre fabricantes não é unânime. Assim, é possível encontrar peças excelentes ou ruins, a depender de quem fabrica;
  • representam o melhor custo-benefício, quando se concilia a compra de uma boa fabricante a um preço justo.

Exemplos de peças de reposição de alta qualidade

No mercado nacional existe uma infinidade de peças de reposição, assim como inúmeras fabricantes por trás delas. Portanto, é essencial que você norteie as suas pesquisas em busca da reputação dessas empresas, assim como de seus produtos.

Confira a seguir alguns exemplos de peças paralelas, desenvolvidas com alto grau de excelência.

Para motos

Para veículos leves e pesados

Agora, reconhecendo a existência de alternativas sensatas às caras peças genuínas, é o momento de se informar sobre como é possível adquirir peças de reposição sem receios. Acompanhe!

Os cuidados ao adquirir uma peça de reposição

Como você pôde perceber, as peças de reposição costumam ter um valor mais acessível, tanto para o varejo, quanto ao consumidor final. Mas nem tudo são flores, é necessário ter cautela ao adquirir peças paralelas. Entenda mais sobre isso, a seguir.

Pesquise sobre a marca

Sim, meu caro! Desconfie, e muito, dos valores e então faça uma pesquisa consciente. Observe que peças cotadas a um valor muito abaixo da média podem significar mercadoria pirateada, remanufaturada ou até mesmo recondicionada.

Seja como for, o preço determina o valor de um produto no mercado. Dessa maneira, conclua que: muitas coisas que apresentam um preço absurdamente baixo não conseguem entregar uma qualidade extraordinariamente alta.

Ateste o reconhecimento e a confiabilidade da fabricante

De fato, esse é um dos principais critérios que devem ser analisados ao comprar peças de reposição. Por exemplo, se você já é um cliente assíduo e adepto de uma determinada empresa e lida cotidianamente com o atendimento e zelo fornecidos pelos funcionários enquanto instala peças da marca nos carros do seu cliente, pronto! Nesse cenário, uma fabricante já conquistou a sua confiança.

No entanto, nem sempre é assim que as coisas funcionam. Existem momentos em que você precisa passar um orçamento mais em conta, mas desconhece completamente a reputação das fornecedoras mais acessíveis. Então, como proceder?

Nesse caso, você precisará fazer uma pesquisa de mercado, olhando a reputação da empresa em páginas sociais de classificação, entendendo a missão institucional da organização e, se possível, consultando colegas de profissão que já trabalharam com a marca em questão.

Mas atenção: nunca se deixe convencer única e exclusivamente pelo menor valor! Atuando cotidianamente na manutenção de veículos, você conhece a importância de fazer os carros rodarem, sobretudo, com segurança.

Trabalhar a confiabilidade com uma fabricante de peças paralelas de alta qualidade pode ser muito lucrativo. Você poupará muito no longo prazo, enquanto instala peças de reputação comprovada, sem receios de sujeitar sua clientela a riscos desnecessários.

Descomplicado, não é mesmo? O fato é que as diferenças entre peças originais e de reposição podem ser gigantescas ou inexistentes. Tudo vai depender de quem fabrica os produtos que você comprará.

A última e valiosa dica para encontrar o seu fabricante/fornecedor é: sempre procure comprar de distribuidores licenciados e oficiais. Você há de concordar que adquirir peças em sites de classificados, que podem colocar em risco a segurança do carro, não representa o profissionalismo e confiabilidade que seu cliente espera.

Gostou deste post que conta as diferenças entre peças de reposição e originais? Então, aproveite a visita em nosso blog para ler também o texto “Peças nacionais e importadas: quais são as diferenças na prática?” e se tornar um expert no assunto!

Ebook como trocar uma pastilha de freio