Autopeças Para o Motorista

Especialista revela o papel da manutenção preventiva para autopeças

Manutenção preventiva de autopeças

Você já deve ter ouvido dizer que os veículos são categorizados como bens duráveis — ou seja, a ideia é que eles sejam utilizados por um longo período de tempo até que sejam descartados. No entanto, para que isso seja de fato possível, sua manutenção é um cuidado simplesmente indispensável.

E para que a vida útil do veículo seja ainda maior, é importante dar atenção especial às práticas de manutenção preventiva. Afinal, além de serem mais simples e baratas, elas proporcionam mais segurança para o veículo e para seus ocupantes.

Pensando nisso, convidamos Igor Giacomet, nosso especialista e proprietário da Mecânica Confiança, para nos contar como a manutenção preventiva é fundamental na conservação das autopeças. Acompanhe!

O que exatamente é a manutenção preventiva?

É chamada de manutenção preventiva toda intervenção realizada antes mesmo que um problema efetivamente aconteça. Nesse processo, as peças e os sistemas do veículo são cuidadosamente examinados em busca de sinais de desgaste ou mau funcionamento, permitindo que a substituição seja feita o quanto antes.

Dessa forma, seu objetivo é evitar a ocorrência de falhas repentinas durante o funcionamento do veículo. Quando isso acontece, o veículo pode ter a dirigibilidade afetada, comprometendo a sua segurança. Em alguns casos, o condutor pode até mesmo perder totalmente o controle da direção, o que pode resultar em graves acidentes.

Além da maior segurança, outra grande vantagem de realizar a manutenção preventiva é que ela é mais econômica. No fim das contas, esse tipo de manutenção apresenta diversas vantagens que fazem o investimento valer a pena.

Qual é o benefício para as autopeças?

Um automóvel é composto por diversas peças que trabalham de forma conjunta. Por isso, nosso especialista esclarece que elas são as principais beneficiadas quando a manutenção preventiva é realizada periodicamente.

Quando determinada peça ou sistema de um veículo não está nas condições ideais, os reflexos passam a ser sentidos por outros componentes, causando uma verdadeira reação em cadeia. Isso faz com que um problema que poderia ser de simples solução se torne uma dor de cabeça bem maior.

Conforme Igor destaca, quando a manutenção preventiva não é realizada, os custos dos reparos podem ser ainda maiores, já que diversas outras peças podem acabar sendo afetadas. Por outro lado, revisões preventivas regulares ajudam a aumentar a durabilidade de diversas peças, aumentando sua vida útil.

O que deve ser verificado na manutenção preventiva?

Praticamente todos os componentes de um veículo podem ser inspecionados a fim de identificar a necessidade de manutenção preventiva. Veja agora quais são os mais importantes.

Sistema de freios

Igor Giacomet faz questão de ressaltar que os componentes dos freios estão entre os que mais merecem atenção na hora da revisão. Isso porque eles formam o principal sistema de segurança de um veículo.

Discos e pastilhas de freio atuam em contato direto quando o pedal é acionado, tornando inevitável o desgaste dos componentes. Quando isso acontece, a frenagem do veículo pode ser comprometida.

As pastilhas costumam se deteriorar bem mais rapidamente, já que são compostas de materiais de baixa resistência. Além disso, se a substituição não for feita no momento certo, o disco certamente terá sua vida útil reduzida devido ao atrito com as pastilhas desgastadas.

O momento da troca depende de fatores variáveis, como a forma de condução e a qualidade dos materiais. Por isso, a recomendação do especialista é que uma inspeção seja realizada a cada 5 mil km para garantir que os componentes estejam sempre em boas condições.

Suspensão

Um sistema de suspensão em bom estado aumenta a vida útil de diversos componentes, como os próprios freios. Ele garante a estabilidade do veículo em diferentes situações, evitando o desgaste excessivo de peças de outros conjuntos.

Portanto, é preciso dar atenção especial aos amortecedores, principais componentes da suspensão. Seu prazo para substituição também depende da maneira como o veículo é conduzido, além da carga e dos locais por onde ele trafega.

Fazer uma verificação a cada 10 mil km é o ideal para identificar a necessidade de reparos sem que o desempenho do veículo seja prejudicado.

Pneus

Outro item de segurança de que o motorista não pode descuidar são os pneus. Atuando em contato direto com o solo, eles também sofrem bastante com o desgaste.

A correta manutenção dos freios e da suspensão, inclusive, é vital para uma maior durabilidade dos pneus. Para analisar suas condições, confira a profundidade dos sulcos e procure por sinais de desgaste, como rachaduras e bolhas.

Esse é um cuidado simples que pode ser tomado pelo próprio motorista, por meio de uma inspeção visual nos pneus. Até mesmo a calibragem regular dos pneus é considerada uma prática de manutenção preventiva que ajuda a aumentar a vida útil desses componentes.

Injeção eletrônica

Responsável por alimentar o motor com combustível de maneira otimizada, o sistema de injeção eletrônica é composto por vários itens que precisam ser examinados ao fazer a manutenção preventiva.

As velas de ignição, por exemplo, perdem gradativamente a capacidade de gerar faíscas quando estão desgastadas. Isso força o alternador a enviar tensões cada vez maiores para que o sistema funcione, podendo ocasionar falhas na ignição e danos em componentes como o transformador e o catalisador.

Ainda que os primeiros efeitos de problemas no sistema sejam quase imperceptíveis, a dica do especialista é não adiar a visita ao seu mecânico de confiança quando a luz da injeção eletrônica se acender no painel.

Como planejar a manutenção preventiva do meu carro?

A grande dificuldade de muitos motoristas é saber qual é o momento em que seu veículo deve passar por uma inspeção. Para não ter esse problema, Igor Giacomet recomenda que seja seguido um planejamento de manutenção preventiva.

Veículos novos já saem de fábrica com um cronograma de revisões por um período determinado, bastando que o proprietário siga corretamente a programação para manter seu veículo sempre em pleno funcionamento. Aqueles que não contam com essa conveniência podem elaborar um plano de manutenção por conta própria, tomando como base a data em que os componentes foram substituídos e seu prazo estimado de vida útil.

Contar com o apoio de um mecânico de confiança nessa tarefa também pode ser de grande ajuda, já que ele conhecerá as melhores práticas de manutenção para garantir a sua segurança ao dirigir.

Além de oferecer mais confiança ao motorista e a todos os ocupantes, um veículo com a manutenção preventiva em dia consome menos combustível, emite menos poluentes e é muito mais valorizado na hora de fazer uma negociação.

Se você gostou dessas dicas, aproveite para assinar a nossa newsletter. Assim, você não perde nenhum de nossos conteúdos que te ajudam a cuidar melhor do seu carro.