Gestão de Oficina Para o Mecânico

Veja 4 custos operacionais de uma oficina e saiba como calcular

custos operacionais

Quem administra um negócio próprio sabe bem como a gestão dos custos operacionais é uma tarefa importante. Sem esse cuidado básico, os riscos de se enfrentar descontrole financeiro aumentam significativamente, o que pode comprometer (e muito) as atividades. Como cada tipo de empresa é diferente, é fundamental conhecer a fundo suas particularidades para fazer um levantamento preciso dos gastos. No caso de uma oficina mecânica, você sabe o que deve ser considerado na hora de fazer essa análise? Acompanhe este post para conhecer 4 custos operacionais de uma oficina, aproveitando para aprender a calculá-los!

1. Insumos de produção

Para ter mais agilidade no dia a dia e conseguir atender um número maior de clientes, é importante que a oficina tenha disponível em seu estoque aqueles insumos de saída mais frequente. Por isso, os valores investidos na aquisição desses itens configuram um custo operacional imprescindível.

Entre os principais insumos para a maioria das oficinas, podemos citar materiais como pastilhas e discos de freio, correias dentadas, alternadores, amortecedores, baterias e pneus, além dos diversos tipos de filtros e aditivos. No final das contas, a composição do estoque dependerá de fatores como a cartela de serviços prestados e o perfil dos veículos atendidos pela oficina. Isso tudo requer um bom planejamento na hora da aquisição.

Outro fator que deve ser considerado para otimizar os custos com insumos é a sazonalidade da demanda. Períodos que antecedem datas comemorativas e férias escolares, por exemplo, costumam resultar em um maior movimento de clientes. Por isso, garantir o abastecimento do estoque nesses dias possibilitará o atendimento de todos e um rápido retorno sobre o custo dos materiais utilizados.

Um bom índice para calcular os custos dos insumos de produção é o Custo de Mercadorias Vendidas (CMV). Isso ajuda a descobrir quanto foi gasto desde a compra até a venda final dos produtos. Assim, o gestor consegue medir a taxa de lucratividade que os itens em estoque representam para a oficina.

2. Contas de consumo

Serviços de fornecimento de energia elétrica, água, telefone e internet são indispensáveis para garantir as condições de funcionamento de um estabelecimento. Para lidar com esses valores todos os meses sem dor de cabeça, uma boa dose de organização e o cuidado com o planejamento são atributos muito importantes.

Por isso, o setor financeiro deve reunir essas faturas mensalmente, verificando o empenho necessário para quitá-las. Uma boa dica aqui é definir o melhor dia para fazer o pagamento das contas de acordo com seu fluxo de caixa a fim de concentrar os vencimentos sempre próximos a essa data. Desta forma fica mais fácil manter organizados os custos operacionais da oficina.

Fazendo esse simples levantamento de forma regular, será possível identificar eventuais altas nas cobranças e definir medidas para otimizar esses custos. Afinal, assim como você adota práticas para reduzir as contas de consumo em sua casa, esse mesmo conceito não só pode como deve ser incorporado à rotina da oficina!

Lembre-se de que faturas atrasadas podem resultar em corte no fornecimento do serviço, o que prejudicará tanto o andamento dos trabalhos como a própria imagem da empresa. Caso tenha alguma conta em aberto, portanto, procure entrar em contato com a fornecedora do serviço e buscar uma negociação que permita a regularização dos débitos sem comprometer seu caixa.

3. Salários e encargos trabalhistas

Contar com bons funcionários é absolutamente vital para dar conta das demandas dos clientes com qualidade, especialmente quando a oficina começa a crescer. Por outro lado, o gestor deve colocar na ponta do lápis os custos relacionados aos colaboradores para entender como impactam no orçamento e, assim, garantir um crescimento sustentável.

Além do valor do salário, um trabalhador contratado por meio do regime CLT tem direito a outros benefícios, como vale-refeição e vale-transporte. Além disso, para cada funcionário registrado em carteira, o empregador também deve depositar 8% de seus vencimentos em sua respectiva conta do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Quando precisar que seus funcionários façam horas extras, por exemplo, é fundamental analisar o impacto financeiro dessa medida para decidir se é mesmo interessante para a empresa.

Quem preferir fazer a contratação de PJ (Pessoa Jurídica) para compor seu quadro de colaboradores poderá ter mais facilidade na hora de fazer os pagamentos. Isso porque o acordo entre as partes pode ser elaborado de forma mais flexível. Por outro lado, essa modalidade exige uma maior organização dos envolvidos para que nenhuma obrigação legal seja deixada de lado.

4. Carga tributária

O primeiro passo para uma boa administração dos custos com impostos é a escolha do regime tributário adequado para sua empresa. Quando esse cuidado não é tomado, você pode acabar pagando muito mais do que seria devido em outra modalidade.

Para a maioria das oficinas mecânicas, o Simples Nacional costuma ser a melhor escolha. O programa abrange empresas com faturamento anual de até 4,8 milhões de reais, reunindo em uma única guia todos os impostos e tributos devidos, sejam federais, estaduais ou municipais.

Como o Simples cobra uma alíquota diferente sobre cada tipo de atividade, é importante verificar em qual faixa de tributação seu negócio será inserido. Ainda que a taxa fique um pouco maior que em outros regimes, a facilidade que o Simples proporciona na hora de pagar os impostos pode valer a pena. Assim, o gestor não precisa se preocupar com diferentes guias e prazos, reduzindo os riscos de esquecer algum compromisso com o Fisco.

Por fim, a melhor maneira de manter todas as obrigações tributárias em dia é contar com a ajuda de um contador de confiança. Esse é o profissional capacitado para ajudar na estruturação contábil e no planejamento fiscal financeiro da sua oficina, algo fundamental para se ter total controle sobre os custos de operação.

Outros custos operacionais de uma oficina mecânica

Além dos tópicos que vimos neste post, existem outras obrigações a que o gestor deve estar atento, como custos com divulgação, marketing, aquisição de ferramentas, maquinário, infraestrutura e assim por diante. Por isso, quanto mais você conhecer os pormenores do seu negócio, mais fácil será dominar esses custos e operar sempre com as finanças no azul!

Agora que você conhece os principais custos operacionais de uma oficina mecânica, que tal saber mais sobre outra obrigação importante para qualquer prestador de serviço? Confira agora o que a lei diz sobre garantia de serviço e ofereça o melhor atendimento a seus clientes!

Estoque para oficina mecânicaPowered by Rock Convert