Para o Motorista

ABS, ESP e EBD: conheça o que quer dizer essas siglas do seu freio!

freios do carro

ABS, ESP e EBD: quanto o assunto é carro, você certamente já deve ter se deparado com algum desses termos. Mas será que conhece a fundo o significado de cada um deles?

Em meio a todas as suas especificações técnicas, componentes e sistemas, nem sempre é fácil entender os termos e siglas que fazem parte da operação de um veículo. No entanto, para quem gosta de carro e utiliza essa ferramenta diariamente, é importante conhecer melhor sobre o seu funcionamento e sua mecânica. Além de ser algo prazeroso, é fundamental para um uso seguro e durável do automóvel.

Pensando nisso, preparamos este artigo para explicar um pouco melhor alguns termos relacionados ao sistema de freio do veículo. Entre eles: ABS, ESP e EBD. Então, se você é do tipo que se preocupa com o seu carro e se interessa pelo assunto, certamente irá gostar de aprender mais sobre essas tecnologias. Acompanhe!

ABS

Quando se trata dos freios do veículo, uma das siglas mais comuns é a ABS (Antilock Braking System). No passado, apenas veículos mais caros e sofisticados contavam com módulos de ABS. Contudo, no Brasil, essa tecnologia passou a ser obrigatória em todos os carros novos fabricados a partir de janeiro de 2014. Isso em razão dos grandes avanços trazidos em questão de eficiência e segurança no momento da frenagem de um automóvel.

Na prática, o ABS atua como um sistema auxiliar aos freios convencionais do veículo. Sua função primordial é evitar o travamento das rodas em frenagens mais severas e bruscas. Nestas ocasiões é muito comum a derrapagem e eventuais acidentes.

Desse modo, a tecnologia opera com base em sensores e módulos eletrônicos. São eles que realizam leituras constantes no sistema de freio de veículo no momento em que o pedal é acionado pelo motorista. Esses sensores identificam quando a rotação das rodas está se aproximando de uma parada total. A partir disso, fazem com que se diminua a pressão nos discos, evitando o travamento.

Um dos principais indicadores de que o ABS foi acionado em uma frenagem é a trepidação no pedal do freio. Isso ocorre porque o sistema força o pedal de volta para aliviar a pressão da frenagem. Isso acontece repetidas vezes em um curto espaço de tempo.

Por se tratar de um sistema eletrônico bastante efetivo, diferentes vantagens podem observadas pelo condutor que dirige um veículo com essa tecnologia. A exemplo, podemos citar:

  • redução da distância de frenagem do automóvel;
  • aumento da estabilidade e dirigibilidade do veículo, ainda que durante frenagens bruscas;
  • redução do desgaste dos pneus, dada a redução das derrapagens.

EBD

Assim como o ABS, o termo EBD é outro conhecido dos motoristas. O “Eletronic Brake Force Distribution” é outro recurso tecnológico auxiliar no sistema de freios do veículo, atuando em conjunto com ABS.

Esse sistema, na prática, possui uma função extremamente importante não só para a melhora na performance de frenagem de um veículo. Serve principalmente para a segurança do condutor e passageiros no momento em que o pedal de freio é acionado.

O EBD atua como uma central de monitoramento dos freios, avaliando diferentes informações, como rotação das rodas, ângulo e tração. A partir desses dados, o sistema realiza a distribuição da força de frenagem da maneira mais eficiente possível.

A exemplo, o EBD é capaz de identificar quando uma das rodas do veículo não está em contato com o solo ou está com pouca aderência. Assim, o módulo consegue corrigir essa situação. Isso evita, por exemplo, que o carro saia da trajetória reta quando o freio é acionado.

Apesar de o EBD ainda não ser um item obrigatório nos carros novos, grande parte das montadoras já o inclui em seus projetos. Desta forma, passam a oferecer ao comprador veículos ainda mais seguros e eficientes no quesito frenagem.

ESP

O ESP (Eletronic Stability Program) é mais um recurso tecnológico associado ao sistema de freio do seu veículo. O Programa Eletrônico de Estabilidade, como é chamado em português, atua otimizando a trajetória e dirigibilidade do veículo em situações atípicas. Ou seja, em mudanças repentinas de direção e curvas acentuadas em alta velocidade.

Assim como as demais tecnologias citadas, o ESP também depende de diferentes sensores instalados em todos os eixos do veículo. Ele faz leituras constantes e encaminha para o módulo central do sistema.

Associado ao ABS e ao EBD, o ESP consegue aumentar significativamente a segurança não só em situações de frenagem. Ele atua também ao corrigir eventuais desvios ocasionados pela dinâmica do peso, velocidade e outras variáveis que atuam sobre o carro em movimento.

Em resumo, o que o ESP faz é corrigir a trajetória do automóvel a partir do acionamento independente dos freios. Ou seja, sempre que o sistema detectar que o carro apresenta um comportamento de risco, como em curvas acentuadas, em que o eixo interno tende a perder aderência, ele é capaz de agir autonomamente acionando os freios de forma precisa e independente. Tudo para assegurar que o motorista tenha total controle sobre o automóvel.

Outras siglas e tecnologias

Além das siglas citadas anteriormente, existem diversas outras que fazem parte do funcionamento dos carros modernos. Para deixar você ainda mais bem informado, listamos algumas delas. Confira!

EAS

O Eletronic Actuation System nada mais é do que um sistema de controle de tração do veículo. O que esse recursos faz é, a partir de sensores e leituras nos eixos do carro, detectar qual a melhor maneira de distribuir a força do motor para as rodas.

Esse é um sistema muito comum em veículos maiores, com características off-road e 4×4. Um exemplo claro do funcionamento EAS é quando o veículo precisa passar por uma vala e uma das suas rodas perde contato com o solo. Assim, o que o sistema faz é tracionar apenas os eixos que estão em contato com o solo e podem fazer como que o carro ultrapasse o obstáculo.

Apesar de esse não ser um recurso diretamente associado ao sistema de freios, como os citados, também é válido saber o que essa sigla significa.

BAS

O Brake Assist System, por sua vez, é um sistema de auxílio a frenagem. Seu funcionamento é bastante simples: o que ele faz é aumentar a carga da frenagem quando detecta que o motorista acionou o pedal bruscamente. Vale mencionar que o BAS atua em conjunto com o ABS e o EBD.

Por fim, como vimos, diversas siglas estão associadas ao sistema de freio do seu veículo, ABS, ESP e EBD são só algumas delas. Conhecer mais a fundo essas tecnologias é fundamental na hora de escolher um carro novo, por exemplo, além de ser um fator que contribui para a sua segurança. No mais, é importante lembrar que, por se tratar de sistemas tecnológicos mais técnicos, é sempre recomendado fazer as manutenções preventivas e corretivas com profissionais especializados.

Então, gostou deste artigo? Tem interesse em aprender mais sobre o mundo dos autos? Siga as nossas redes sociais! Estamos no Facebook, Instagram, YouTube e LinkedIn.