Para o Motorista

5 dicas práticas para cuidar dos arranhões no carro

Arranhão no carro

Encontrar um arranhão no carro é uma das piores sensações para quem possui um veículo, não é mesmo? Ainda mais para aqueles motoristas que gostam de fazer a manutenção por conta própria. Afinal, mesmo com bastante zelo e dedicação, pequenos riscos ou desgastes na pintura podem aparecer ao longo do tempo. Infelizmente, eles podem contribuir para a desvalorização do veículo.

Como os automóveis são a paixão de muitas pessoas, elaboramos este artigo para ajudar você a lidar com esse problema. Durante a leitura, você entenderá quais são os arranhões mais frequentes e o que pode ser feito para cuidar deles.

Aproveite o conteúdo!

Quais são os tipos mais comuns de arranhão no carro?

Se você já faz manutenções preventivas com frequência, o primeiro e mais importante passo é avaliar o tipo de arranhão que há no seu carro. A inspeção da área riscada deve ocorrer, de preferência, em um local bem iluminado. Você também pode usar uma lupa para auxiliar no processo, já que ela ajuda a enxergar com detalhes.

Também tenha bastante atenção às diferentes partes do carro. Os locais com mais incidência de riscos são:

  • para-choques;
  • portas (área das maçanetas, em especial);
  • rodas e calotas.

Avalie a profundidade do risco

Caso seja um risco superficial, não precisa se preocupar: você poderá removê-lo, como mostraremos s seguir. As calotas, por exemplo, podem até ser trocadas por novas, já que são itens baratos. No entanto, se ele é profundo e há como enxergar uma cor diferente da pintura no fundo, algumas providências serão necessárias — esse é o indicativo de que o corte atravessou as camadas de verniz e de tinta presentes na lataria.

Dependendo da profundidade atingida, o dano pode chegar ao primer, que é uma camada de revestimento situada abaixo da pintura, ou ao metal. Nessas situações, existem chances maiores de acontecer uma corrosão, que também pode ser prejudicial para outras partes do veículo. Se ficar com dúvidas, faça um teste e passe o dedo sobre a parte arranhada — quanto mais você sentir a diferença de textura, pior é o risco.

Arranhões profundos demais e/ou com colorações diferentes da tinta do carro demandam alguns cuidados adicionais. Por isso, é recomendável que você leve seu carro para uma oficina mecânica e deixe o trabalho nas mãos de um especialista. Além dos reparos ligados à pintura, talvez seja necessário fazer consertos na parte de funilaria. Acredite: tentar dar um “jeitinho” ou improvisar soluções para arranhões maiores pode danificar ainda mais seu automóvel — e não é isso que você quer, certo?

Como cuidar dos arranhões no carro em casa?

Agora que você já sabe identificar os locais e os tipos de arranhão no carro, é hora de aprender 5 dicas práticas para cuidar desses riscos em casa. Vamos lá?

1. Faça uma boa limpeza

Como você sabe, não é somente antes de fazer uma viagem com a família que o carro deve ser limpo. Lembre-se de que a sujeira pode piorar o estrago ou, pior ainda, mascarar o problema, passando a falsa impressão de que o risco não está mais ali.

Sendo assim, antes de começar qualquer reparo, faça uma lavagem completa, com jatos de alta pressão, esponjas adequadas, lãs de carneiro e tecido de algodão. Use água corrente e não deixe o sabão secar em nenhum momento. Para fazer a secagem, utilize um pano seco e diferente do usado na lavagem. Desta forma, você terá uma visão bem melhor dos danos presentes no carro!

2. Aplique cera e afins

Uma cera de finalização com brilho pode fazer muito pelo seu automóvel. Esses produtos são ótimos para proteger o verniz da pintura e também são extremamente úteis para esconder pequenas imperfeições, dando aquele aspecto de “novo em folha” para o seu carro. O efeito das ceras comuns dura em torno de um mês; o das profissionais, de 6 meses a 1 ano, em média.

Onde há plástico e borracha, o ideal é usar materiais capazes de hidratar essas peças. Alguns deles são feitos com silicone e outros são conhecidos revitalizadores de plástico. Ambos ajudam a tirar aquela aparência esbranquiçada, que é uma consequência da exposição direta e frequente ao sol. Entretanto, se você não quer que essas partes fiquem ressecadas, tente estacionar em locais cobertos ou nas sombras das árvores.

3. Cuide dos vidros

Vidros riscados são mais comuns do que você imagina — às vezes, eles só são descobertos durante uma revisão —, mas existe uma saída bastante caseira para resolvê-los. Depois de limpar a área, coloque a mão na massa e faça uma mistura com creme dental e bicarbonato de sódio. É fundamental que a composição fique homogênea, ou seja, completamente misturada, sem grãos ou pequenos pedaços.

Depois de pronta, passe a solução sobre o arranhão no vidro do carro e espere cinco minutos. Com um pano macio (algodão ou lã), retire-a fazendo movimentos circulares e delicados, até o risco desaparecer. No fim, enxágue e seque.

4. Dê atenção ao polimento

Caso o arranhão seja superficial, mas tenha chegado ao verniz, é provável que só a cera não seja suficiente para apagá-lo: você deverá recorrer ao polimento. Para isso, você deve cobrir uma lixa especial com massa de polir. A finalização, na maioria das vezes, é feita com um produto chamado politriz. Esses três elementos podem ser comercializados juntos ou separados.

Não se esqueça de que esse processo é abrasivo e não pode ser feito repetidas vezes. Especialistas indicam que se faça, no máximo, de 4 a 5 polimentos ao longo da vida útil de um veículo. Entretanto, se você não tiver nenhuma experiência com esses produtos, é melhor deixar a tarefa para outra pessoa.

5. Fique de olho no dia a dia

Se você utiliza pouco o automóvel e a sua carteira de motorista fica sempre guardada, vale a pena usar aquelas capas de proteção próprias para carros. Sendo assim, para quem não tem a opção de mantê-lo estacionado em lugares cobertos, elas são essenciais.

Enfim, um arranhão no carro nunca é uma boa notícia, concorda? Felizmente, existem soluções caseiras para lidar com os riscos superficiais. Se eles forem profundos, a melhor opção é deixar os improvisos de lado e contratar um profissional!

E aí, o que achou do texto? Aproveite e assine nossa newsletter gratuita para receber conteúdos exclusivos como este em seu e-mail!